Resort em Dorado Beach traz Porto Rico de volta aos anos dourados

A praia de Dorado
As areias douradas da praia de Dorado

Talvez você ainda não tenha ouvido falar de Dorado Beach, mas este canto de Porto Rico é um lugar cheio de histórias interessantes. A começar por sua localização. Dorado Beach fica a menos de uma hora de San Juan, capital da ilha porto-riquenha. É uma linda praia de areias douradas e águas azuis, com condomínios e resorts de luxo. Um deles, com o mesmo nome da praia, foi reinaugurado há dois anos como um Ritz-Carlton Reserve.

Dorado Beach, Porto Rico / Foto de Carla Lencastre
Dolce far niente no Ritz-Carlton Reserve de Dorado Beach

O novo hotel é tão luxuoso quanto o seu passado. A propriedade, uma antiga fazenda de coco e frutas cítricas, pertencia a Clara Livingston no início do século XX. Herdeira de fazendeiros, vinda de Nova York, Clara era aviadora, e fez sua primeira viagem pilotando um avião em 1927. Entre os hóspedes frequentes de Dorado Beach estava a intrépida Amelia Earhart, grande amiga de Clara e a primeira mulher a atravessar o Oceano Atlântico pilotando sozinha um avião, em 1932. Até hoje, Amelia é musa das mulheres que amam viajar sozinhas. Foi de Dorado Beach que ela partiu para seu último voo, em 1937, quando pretendia fazer uma circunavegação. Seu avião, um Lockheed Electra, caiu no Pacífico Sul.

A entrada do Ritz-Carlton Reserve
A entrada do resort

No final da década de 1950, Laurance S. Rockefeller, financista da terceira geração da família e também aviador, comprou Dorado Beach de Clara. Ambientalista e considerado um dos criadores do ecoturismo, Rockefeller transformou o lugar em um refúgio de inverno para a família, e também em um resort ecológico, muito antes de sustentabilidade ser assunto de mesa de bar. Entre os hóspedes ilustres da época estão Elizabeth Taylor, Ava Gardner, Joan Crawford, Joe DiMaggio e os presidentes americanos Dwight D. Eisenhower e John F. Kennedy.

Piscina de borda infinita
Piscina de borda infinita em frente à praia

Porto Rico é o segundo destino caribenho mais visitado pelos americanos em busca de luxo, perdendo somente para as Bahamas, segundo uma pesquisa feita em parceria pela Resonance Consultancy e o Luxury Institute. O resort do grupo Ritz-Carlton é o segundo com o selo Reserve. O primeiro fica em Phuket, na Tailândia; o terceiro, em Ubud, em Bali. Outros três estão previstos para Los Cabos, no México; Pearl Island, no Panamá, e Tamuda Bay, no Marrocos.

Praia, piscinas e tapas caribenhas

Porto Rico está a três horas de voo de Miami ou da Cidade do Panamá, e Dorado Beach pode ser uma escapada luxuosa a dois ou com crianças, cercada de boas histórias. O Ritz-Carlton Reserve se espalha por 114 apartamentos e suítes ao longo da praia, entre uma vegetação exuberante, preservada desde os tempos de Clara Livingston. Por determinação de Laurance Rockefeller, seguida até hoje, nenhuma construção é mais alta que a copa das árvores.

Piscina privativa à beira-mar
Piscina privativa à beira-mar

A maioria dos espaçosos apartamentos tem piscina privativa de frente para todos os azuis do mar. Uma barreira de pedras, construída na época de Rockefeller, faz com que, em parte da propriedade, o mar seja sempre uma piscina. Mas se preferir água doce, além da sua piscininha particular há outras duas, ambas com vista para o mar. A alta temporada é no inverno. O verão porto-riquenho é época de muito calor, chuvas e, às vezes, furacões.

Fim de dia em Dorado
Fim de dia em Dorado

Na casa principal ficam dois dos restaurantes da propriedade. O bar da piscina, Positivo Sand Bar, pé na areia como diz o nome, vira um restaurante informal à noite. Na happy hour, é o lugar perfeito para ver o pôr do sol. O outro restaurante é o delicioso Mi Casa, do chef hispano-americano José Andrés, um dos primeiros a servir tapas nos Estados Unidos. Andrés tem mais de vinte restaurantes nos EUA, em cidades como Washington, Miami, Los Angeles e Las Vegas. A criativa cozinha hispano-caribenha contemporânea está à disposição de quem não estiver hospedado no resort (há outros hotéis na região), e os hóspedes podem aproveitar também o cardápio de room service assinado por José Andrés.

Na sala de Mi Casa
Na sala de Mi Casa

O Mi Casa tem mesas de madeira escura, sofás estampados, adega envidraçada, obras de arte, fotos, muitas luminárias e uma cabeça de touro (o Jaleo, no Cosmopolitan, em Las Vegas, também tem uma delas). Está cheio em uma terça-feira à noite, e a música latina em volume baixo não inibe a conversa. O jantar gourmet, com cardápio à escolha do chef, começa com gazpacho de pepino acompanhado de um pinot noir francês, o Perrot-Minot. Segue com pão com tomate e presunto ibérico; cones com mamão e queijo de cabra; espuma de foie gras com café; ostras com suco de abacaxi e coco. Continua com croquetes servidos em um calçado de fibra de vidro fazendo às vezes de suporte, “louça” que os frequentadores do Jaleo já conhecem. Pequenos hambúrgueres com carne de porco em estilo cubano e um inesquecível ceviche com abacate vêm em seguida.

Dorado Beach mantém a casa original de Clara Livingston, Su Casa, onde Amelia Earhart se hospedou no fim dos anos 1920 e na década de 1930. Hoje Su Casa pode ser alugada para famílias ou grupos de até oito pessoas. Com quatro quartos, construída em 1928 em estilo colonial espanhol, a casa da fazenda passou por uma restauração milionária. Entre os móveis, muitos são da época, trazidos por Clara de suas viagens pelo mundo — ela foi também a 11ª mulher a ter licença para pilotar helicóptero. Mesmo depois de ter vendido a propriedade para Laurence Rockefeller, Clara continuou morando por três décadas em Dorado Beach.

A entrada do spa
A entrada do spa

Além da preocupação em preservar a história e o meio ambiente, Dorado Beach também se propõe a valorizar a cultura local. Todas as noites os hóspedes recebem cartões com histórias da região, dos índios tainos aos dias de hoje, passando pelos colonizadores espanhóis, e também com informações sobre a flora e a fauna locais. O artesanato dos tainos inspira a decoração do resort. O lindíssimo spa tem até casas nas árvores para massagens que seguem as tradições locais.

A locomoção em Dorado Beach é feita em carrinhos elétricos, bicicletas ou a pé. Uma parte da praia tem mar aberto, e há programas aquáticos conduzidos por Jean-Michel Cousteau, filho de Jacques Cousteau. Entre as atividades oferecidas, estão snorkel e passeios de caiaque, ambos, inclusive, à noite. Na propriedade há ainda um campo de golfe e um parque aquático, inspirado em um moinho de cana-de-açúcar, que na realidade faz parte do condomínio de casas vizinho, mas pode ser usado pelos hóspedes.

(Versão atualizada de texto originalmente publicado na revista Boa Viagem, do jornal O Globo.)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s