De Interlaken à Jungfrau, uma das montanhas mais famosas da Suíça

Eiger, Mönch e Jungfrau: o paredão alpino visto do Schnygee Platte
Eiger, Mönch e Jungfrau: paredão alpino

Eiger, Mönch e Jungfrau. O ogro, o monge e a virgem (em tradução livre) formam um dos mais impressionantes maciços da Suíça. Conquistada apenas em 1938, a espetacular face norte do Eiger, onde a rocha parece lisa em quase metade de seus 3.970 metros de altitude, ainda hoje é um desafio para alpinistas. Mönch se destaca entre as duas montanhas com seus 4.107 metros de altitude. E Jungfrau, com 4.158 metros de altitude, ao lado da geleira Alestch, é um ímã para turistas e uma das atrações mais visitadas do país em todas as estações do ano.

A geleria Aletsch vista do Topo da Europa
A geleira Alestch vista do Topo da Europa

A Jungfraujoch, a estação de trem mais alta da Europa, dá acesso a um incrível parque temático sempre coberto de neve. Chega-se a ela a partir da cidade de Interlaken. A paisagem das montanhas e do campo de gelo, o maior dos Alpes, já seria razão o suficiente para subir ao Topo da Europa (o nome do parque), mas no verão passado no Hemisfério Norte foi inaugurada uma irresistível atração: a mais alta loja de chocolate do mundo.

Paisagem na janela
Paisagem na janela

A jornada Jungfrau acima começa na pequena e agradável cidade de Interlaken. A viagem de duas horas rumo à loja de chocolate mais alta do mundo, no Top of Europe (com nome em inglês mesmo), a 3.454 metros de altitude, envolve trocas de trem (entre composições urbanas e turísticas da Jungfraubahn), queda de temperatura e paisagens incríveis. Cercada de rochas, gelo e neve, a filial da Lindt & Sprüngli foi aberta com o nome de Swiss Chocolate Heaven. Para marcar a data, a grife convidou nada menos do que o tenista Roger Federer, outra instituição suíça e embaixador da marca, para um jogo de tênis em uma quadra instalada na geleira Aletsch, Patrimônio Mundial pela Unesco. E para enfrentar Federer,  foi escalada a americana Lindsey Vonn, tetracampeã mundial de esqui alpino. Na belíssima paisagem do campo de gelo, ao ar livre, a partida de tênis informal foi bem divertida.

Pinguins de gelo
Pinguins de gelo

Na Jungfrau, a Lindt fica abrigada dentro do complexo do Top of Europe. Ao lado, uma minifábrica de chocolate mostra as etapas de fabricação do produto. Para quem não quer só chocolate, o Top of Europe inaugurou também no ano passado um amplo (e bom) restaurante, o Glacier, com uma fachada envidraçada que dá vista para a geleira Aletsch. Entre as outras atrações no Top of Europe, uma das mais interessantes é o Palácio de Gelo. Tem as indefectíveis esculturas em forma de cristais e pinguins, mas também algumas surpresas, como um clássico Sherlock Holmes. Mas o ponto alto e de tirar o fôlego (em ambos os casos, literalmente) da visita é o observatório Sphinx, a 3.571 metros de altitude, cercado de deques de observação ao ar livre — mas há também áreas ao abrigo das intempéries.

Suíça / Foto de Carla LencastreSuíça / Foto de Carla LencastreSuíça / Foto de Carla LencastreO Monge, a Esfinge e a quadra de tênis
No alto do Top of Europe tem-se a sensação de que dá para tocar o cume do Jungfrau e se fica cara a cara com o topo nevado do Mönch (dá até para ver os alpinistas). Não é qualquer dia que a gente se sente tão perto de dois cumes de mais de quatro mil metros de altitude. E a vista é livre para a imensidão do campo de gelo Aletsch. Lembre-se de passar protetor solar e levar óculos escuros.
No caminho Jungfrau acima
No caminho Jungfrau acima

No caminho até o topo, a paisagem é variada. O passeio tem início na estação de Interlaken Ost. Há dois percursos possíveis, e um deles toma o rumo de Lauterbrunnen e Kleine Scheidegg, dois dos muitos simpáticos vilarejos alpinos do percurso. Avistam-se os lagos Thun e Brienz que cercam Interlaken. No verão, há quedas d’água formadas pelo degelo das montanhas. O trem sobe cada vez mais, passa por dentro das montanhas Eiger e Mönch, e a temperatura cai. Já perto da Jungfraujoch, há uma parada no túnel dentro do Eiger. Dá tempo de desembarcar do trem e aproveitar a vista em imensas janelas panorâmicas.

Estação de trem em vilarejo alpino
Estação de trem em vilarejo alpino

Com pouco mais de cinco mil habitantes, Interlaken tem ótima infraestrutura turística para servir de base de exploração para as montanhas. Jungfrau é onipresente, e pode ser vista de quase toda a cidade, que é repleta de parques e esculturas contemporâneas ao ar livre.

A montanha Jungfrau vista de Interlaken
A montanha Jungfrau vista de Interlaken

Há várias opções de hotéis e restaurantes. Os dois hotéis mais chiques e famosos são os clássicos Victoria-Jungfrau e Beau Rivage. Mas há alternativas em diferentes faixas de preços, inclusive o Youth Hostel, moderno e elogiado, quase ao lado da estação de Interlaken Ost. Com mais de 200 quartos, o sesquicentenário Victoria-Jungfrau  já hospedou o escritor americano Mark Twain e Dom Pedro II, serviu como quartel na Segunda Guerra Mundial, e continua um charme. O restaurante com vista para Jungfrau vale a visita, assim como o bar.

Suíça / Foto de Carla LencastreSuíça / Foto de Carla LencastreSuíça / Foto de Carla LencastreCenas de Interlaken

No verão, é possível subir à noite ao Harder Kulm, a 1.322 metros de altitude. Um funicular leva, em apenas dez minutos, de Interlaken à montanha, que ano passado abriu à noite pela primeira vez. Há um restaurante no local. Em julho e agosto, o sol só se põe lá pelas 21h, e no alto do Harder Kulm há boas vistas para o maciço formado por Eiger, Mönch e Jungfrau e também para os dois lagos que cercam Interlaken. A visita noturna é somente no alto verão, mas durante o dia o passeio pode ser feito de meados de abril até o fim do mês de outubro.

Entardecer no Harder Kulm
Entardecer no Harder Kulm

Como chegar

Trem: A melhor maneira de circular dentro da Suíça é de trem. O Swiss Pass dá direito a viagens de trem, ônibus e barco por períodos de quatro dias a um mês, a partir de 272 francos suíços, e dá desconto de 50% em bilhetes de teleféricos e trens de montanha.

Passeios

Jungfraujoch: O bilhete de trem para o Top of Europe custa 197,60 francos suíços. Desconto de 50% com o Swiss Pass.

Harder Kulm: Ida e volta no plano inclinado custa a partir de 28 francos suíços. Desconto de 50% com Swiss Pass.

Onde ficar

Victoria-Jungfrau: Com cinco restaurantes e spa. Diárias a 350 francos suíços. Höheweg 41.

Grand Hotel Beau Rivage: O hotel de 86 quartos pertence a rede Linder. Diárias a partir de 223 francos suíços. Höheweg 211.

Interlaken Youth Hostel: Cama em dormitório para seis pessoas a 37 francos suíços. Untere Bönigstrasse 3a.

(Versão atualizada de texto originalmente publicado na revista Boa Viagem do jornal O Globo.)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s