O gigante Allure of the Seas estreia no Mar Mediterrâneo

Allure of the Seas / Foto de Carla LencastreIrmão gêmeo do gigante Oasis of the Seas, o Allure of the Seas nasceu com alguns centímetros a mais e alguns quilos a menos. O transatlântico da Royal Caribbean foi batizado há pouco mais de quatro anos pela princesa Fiona, mulher de Shrek e herdeira do Reino Tão Tão Distante. Em 2013, ganhou da “Travel Weekly” o prêmio de melhor navio de cruzeiro. Ano passado, foi escolhida a melhor embarcação pelos leitores da mesma revista. E, este ano, está estreando em cruzeiros no Mar Mediterrâneo, com saídas de Civitavecchia (perto de Roma) e Barcelona.

Allure of the Seas / Foto de Carla Lencastre

O gigantismo é o mesmo do gêmeo mais velho: 20 andares, 2.700 cabines e capacidade para 5.400 passageiros. O transatlântico é dividido em “bairros”, organizados de um jeito que faz com que você nem note a quantidade de hóspedes; há vários restaurantes diferentes e as cabines de luxo têm serviço de concierge. Não lembra em nada os navios que costumam circular no litoral brasileiro .

Um restaurante para cada jantar

O que torna o Allure of the Seas – e o Oasis – tão tão distante de outros navios de cruzeiros é que ele é “escavado” no meio de seus 20 andares (16 abertos aos passageiros), com dois pátios internos ao ar livre: o aprazível Central Park e o animado Boardwalk, além do convés das piscinas e da área esportiva, claro. A geografia ajuda a dividir os passageiros, e você se esquece que é apenas mais um em meio a mais de cinco mil. A maioria das cabines tem varanda com vista, seja para o mar ou para essas áreas internas abertas.

Allure of the Seas / Foto de Carla Lencastre
Central Park, um das áreas internas ao ar livre do Allure of the Seas

No Central Park, no convés 8, com 12 mil plantas de verdade, incluindo árvores, há esculturas, uma loja de acessórios e a maioria dos restaurantes de especialidades. É preciso fazer reserva para alguns restaurantes, com uma taxa extra, além das bebidas. O japonês Izumi Hibachi & Sushi, outro restaurante de especialidade, fica no deque 4. Se você estiver hospedado em uma das suítes mais bacanas, o concierge se encarrega de reservar todos os seus jantares, cada noite em um lugar diferente. Cada um desses restaurantes tem capacidade para, no máximo, cento e poucas pessoas.  Além dos restaurantes com reserva, há um imenso bufê self service e o ainda maior restaurante principal, dividido em três áreas.

Allure of the Seas / Foto de Carla LencastreAs suítes luxuosas do Allure são espetaculares, cada uma de jeito diferente, algumas com hidromassagem na varanda. O destaque vai para as 28 em estilo loft, com dois andares envidraçados de cima a baixo. A Sky Loft, por exemplo, tem 67 metros quadrados internos, além de uma varanda com outros 40 metros quadrados e vista panorâmica para a área de lazer, e o mar, claro. A Royal Suite, com 118 metros quadrados, mais a varanda de 31 metros quadrados, tem uma piano na sala. Outras seis ficam de frente para o Aqua Theater, com vista privilegiada para o mar e o anfiteatro. As cabines comuns com varanda também são bem resolvidas e confortáveis, com decoração sóbria, deque para iPod e muitas tomadas. Das 2.700, 1.946 têm varanda, seja com vista para o mar ou para os pátios internos do Central Park e da Boardwalk. O Central Park é bem tranquilo. Já no Boardwalk, quem está na varanda convive com um pouco de barulho, principalmente à noite.

Allure of the Seas / Foto de Carla LencastreNo convés 6, o Boardwalk é mais descontraído que o Central Park. O espírito é de um píer californiano dos anos 1950, com cartazes de alumínio, carrossel, loja de doces (muitos vintage), cachorro-quente, hambúrguer, sorvete e um restaurante mexicano.

Allure of the Seas / Foto de Carla LencastreAllure of the Seas / Foto de Carla LencastreAllure of the Seas / Foto de Carla Lencastre

Um café com Fiona, um drinque ao ritmo das marés

Na extremidade do Boardwalk, na popa do Allure of the Seas, fica o Aqua Theater, o anfiteatro com capacidade para 735 espectadores que tem espetáculos inspirados no Cirque du Soleil. Os clavadistas mergulham numa piscina que a toda hora muda de profundidade, e são famosos desde o Oasis. Ao lado, fica a parede de escaladas ao ar livre, um clássico da Royal Caribbean.  A Princesa Fiona, madrinha do Allure, Shrek e seus amigos; os bichos loucos de “Madagascar”, e Po, o urso de “Kung-fu Panda” podem aparecer aqui e ali.

As crianças se divertem com os personagens da Dreamworks (os adultos ainda mais), e podem tomar café da manhã com eles. Os filmes do estúdio são exibidos em um cinema 3D, e há show de patinação no gelo. Para adultos, assim como o Oasis, o Allure tem versões reduzidas de espetáculos premiados da Broadway entre as suas atrações, como “Chicago” e “Mamma Mia”.  Teatro, rinque de patinação e cassino estão no andar abaixo da Promenade, uma espécie de “rua” interna, característica dos navios mais novos da Royal Caribbean. A diversão noturna conta ainda com discotecas e bares variados espalhados pelo navio. Para se recuperar no dia seguinte, no Vitality Spa há massagens relaxantes no cardápio, mas a ênfase é em tratamentos estéticos, como clareamento de dentes e aplicações de botox.

Allure of the Seas / Foto de Carla LencastreIMG_9505AIMG_9530A

Na Promenade, decorada com esculturas, como árvores de bronze com flores e pássaros de cristais Swarovski, e uma réplica de um carro Mercedes-Benz de 1936, há café 24 horas para lanches rápidos, pizzaria, pub e lojas (tax free) de bebidas, cosméticos, perfumes e roupas e acessórios. E um bar que às vezes está lá, às vezes não. Instalado em um elevador panorâmico, o Rising Tide Bar sobe e desce como as marés, por três andares, entre a Promenade e o Central Park.

Allure of the Seas / Foto de Carla LencastreIMG_9460ANas áreas livres nos deques superiores, tudo é muito parecido com o Oasis: tirolesa (ou zipline) passando 25 metros acima do pátio do Boardwalk, simuladores de surfe e bodyboarding, quadra de basquete e minigolfe, além de jacuzzis e piscinas. Nenhuma é grandona, como nos navios tradicionais. Uma parece uma prainha, com espreguiçadeiras dentro d’água. A das crianças é decorada com esculturas coloridas, como um parque aquático.

Allure of the Seas / Foto de Carla LencastreAllure of the Seas / Foto de Carla LencastreO Allure e o Oasis partem de Port Everglades, em Fort Lauderdale, na Flórida, de um terminal portuário construído especialmente para eles (o que faz com que o embarque e o desembarque sejam rápidos e organizados). Devido ao tamanho, são muito estáveis. Neste verão no Hemisfério Norte, enquanto o Allure estiver na Europa, o Oasis continua fazendo roteiros pelas Bahamas e pelo Caribe.

(Versão atualizada de texto originalmente publicado na revista Boa Viagem, do jornal O Globo.)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s